Ter um site e criar perfis nas redes sociais não são sinônimos de garantir uma presença digital. Afinal, se a sua escola não é encontrada pelo seu público ideal, infelizmente é como se todos esses canais de comunicação não existissem, mesmo que eles estejam disponíveis.

Quando falamos sobre “ser encontrada”, isso não se refere aos clientes que buscam pelo nome da sua escola, e sim aos possíveis clientes que fazem busca por assuntos relacionados ao seu negócio. Exemplo: “escola de ensino fundamental em Brasília”.

A tendência é que haja muito mais buscas desse tipo do que as buscas com o nome da sua empresa — e, convenhamos, quando alguém procura pelo nome da sua escola é porque já a conhece.

Neste post, preparamos um conteúdo especial para te ajudar a entender alguns dos motivos pelos quais a sua escola pode não estar aparecendo na internet. Confira!

Conteúdo sem relevância

Uma escola, por si só, é um centro de geração de conteúdo. A todo momento há muita coisa acontecendo: feiras, jogos, eventos, brincadeiras, discussões, debates, entre outros. Fora isso, os professores podem ser referência em diversos assuntos.

Isso significa que há muita coisa ali para ser comunicada. Se todo o conteúdo disponibilizado pela sua escola for o mesmo de sempre (campanhas de matrículas, por exemplo), a tendência é que em algum momento as pessoas acabem se cansando dele.

O ideal, então, é criar uma cultura de geração de conteúdo pensando sempre no público-alvo da sua escola — normalmente, os pais dos alunos —, a fim de garantir que eles se engajem e até compartilhem seus posts.

Redes sociais sem otimização

Criar um perfil em uma rede social é apenas o primeiro passo para garantir uma presença digital.

Tão importante quanto construir esse espaço, é otimizar o seu perfil com todas as informações da sua escola, como fotos, nome, telefone, endereço, palavras-chave, descrição das principais atividades, material didático, entre outras coisas.

Uma dica é pensar que a rede social é como uma vitrine online: se as pessoas passarem por ali e não encontrarem muitas informações, vão se desinteressar e procurar a vitrine do concorrente.

Site sem otimização

Assim como as redes sociais, também existe uma otimização para sites. Ela é conhecida como SEO (Search Engine Optimization) — ou “otimização para os motores de buscas”.

Como o nome pressupõe, o SEO é constituído por técnicas que ajudam a deixar as páginas do seu site mais “amigáveis” aos buscadores e, com isso, melhor posicionadas.

Isso inclui um estudo e definição de palavras-chave, o posicionamento dessas palavras-chave nos textos, código de programação do site, entre uma série de outros itens.

Pesquisas indicam que mais de 90% das buscas realizadas ficam apenas na primeira página do Google, e mais de 33% do tráfego vai para o primeiro resultado que aparece. Estar nessas posições é garantir que a sua empresa seja vista e você alcance os resultados desejados.

E você? Já adota alguma dessas técnicas para garantir a presença digital da sua escola? Comente aqui no post e conte para a gente o que você faz!