Muitas instituições de ensino enfrentam um problema recorrente: a falta de engajamento com suas campanhas de marketing, especialmente em tempos de troca de semestre ou fim de ano. Existe, aqui, um erro comum, que é a falta de investimento no marketing educacional.

É importante que escolas mantenham a comunicação em dia, fazendo com que o público perceba a marca em outros momentos que não apenas “quando precisa”.

Isso quer dizer que instituições de ensino precisam sempre renovar suas estratégias de marketing.

A ideia é que, nos momentos em que o público-alvo realmente precisar escolher uma instituição de ensino, ele vai se lembrar daquela escola que está sempre em contato com ele.

É normal investir mais esforço nas campanhas momentâneas (período de matrículas ou renovação), mas a comunicação precisa ser regular e consistente.

Neste artigo, vamos dar 5 dicas para melhorar o marketing educacional da sua escola e aumentar seus números ao final das campanhas de matrícula!

1 – Estude o mercado

Parece óbvio? Você provavelmente pensou: “mas eu conheço o meu público!” Mas será que conhece mesmo?

Muitas vezes, temos a impressão errada de que identificamos nossos clientes e o mercado em que estamos por meio da atuação. Mas, na verdade, pecamos por nos precipitar e imaginar que sabemos tudo.

É claro que, após algum tempo de mercado, é possível ter uma noção bem clara de quem é seu público e como o seu mercado funciona.

Porém, acredite: nenhum senso comum é mais eficiente que uma pesquisa aprofundada e indicativa sobre o mercado em que você está inserido. Esse é o primeiro passo para uma estratégia de comunicação de sucesso.

2 – Conheça o seu público-alvo

Complementando a primeira dica, utilize pesquisas para conhecer melhor seu público-alvo.

Quem são as pessoas que estão interessadas na sua escola? Como elas se comportam? Qual é o seu comportamento de consumo?

E, claro: elas estão, realmente, interessadas no seu produto e dispostas a investir no que a sua escola tem a oferecer?

Com base em pesquisas de mercado, será possível, dentre outras coisas, desenvolver personas para guiar a sua atuação.

3 – Conheça cada etapa do funil de vendas

Você já conhece o seu mercado e seu público. Agora, é hora de estudar e compreender cada etapa do seu funil de vendas.

Em qual etapa da conversão o seu público-alvo está? E quais soluções você precisa desenvolver para cada uma delas?

A comunicação para uma pessoa que nunca ouviu falar na sua escola não pode (e nem precisa) ser a mesma utilizada para um pai que vai renovar a matrícula do filho, por exemplo.

Pessoas diferentes, em etapas distintas de consumo, precisam de estratégias exclusivas. E que conversem entre si, claro.

4 – Trabalhe em diversos canais

Você tem uma infinidade de canais para conversar com seu público. Para cada etapa do funil, por exemplo, você pode utilizar uma mídia diferente ou uma estratégia única.

A mídia paga (ou links patrocinados) é um exemplo. Outros bons recursos são o site da sua empresa, e-mail marketing e outras redes sociais.

Descobrir qual canal é o mais interessante para cada fatia do seu público é o maior desafio aqui, e a contratação de serviço especializado é fundamental para o sucesso da estratégia.

5 – Mensure os resultados

Essa é, talvez, a dica mais importante. Você precisa mensurar seus resultados, entender seus investimentos e, principalmente, o retorno que eles te deram.

Qual mídia foi mais eficiente?  Qual estratégia funcionou? Que tipo de público converteu mais? Por quais canais o seu público-alvo entra em contato com você e como você está fazendo para transformar esses contatos em alunos?

A mensuração de resultados é muito relevante, pois é ela que vai guiar as próximas etapas do seu marketing educacional.

A partir desses resultados, você decide, por exemplo, em quais mídias vai continuar investindo ou qual você vai deixar de lado na próxima campanha!

Se você quer melhorar os resultados das suas campanhas de marketing educacional, saiba também como segmentar o seu público utilizando a publicidade paga no Facebook